quarta-feira, 4 de julho de 2012

Paisagem contemporânea: poema escrito à mão e digitalizado (caderno de anotações sobre máquina digitalizadora)

Um comentário:

B. disse...

Que grito desesperador foi esse? Anda sufocado com as pressões do dia-a-dia, moço?