sábado, 12 de abril de 2008

"Bálsamo"

"Amar por amar nunca foi uma verdade.
Mas não esperava nada além de sentir... Não minto !!
Sentir e afirmar que amo !!
Sentir é pouco para o amor."


Do meu modo amei
Já não recordo tantos sonhos que pretendia viver
Quando ofegava medroso diante a fatalidade
Do mundo que me impõe como sentir
Amei, sim amei, amei muito
Além do mero sentir
Além de uma atração vulgar
Mas convencido de ser humano, caí em mentiras
Fraquejei ao espancar o muro
Tudo o que seria, o que nunca aconteceu
Fica na memória pesando cada palavra
Sufocando a cada lembrança
Não é pra isso que se ama
Não se sabe porque se ama !!
Desisto hoje disso tudo
Antes jamais desistiria

As dores são cada vez mais suportáveis
Mesmo que intensificadas em uma década
Não pedi pra amadurecer
E quando percebi já estava carregando arqueado as pedras que me jogaram
Amaldiçoei cada um que desejava sutilmente minha nulidade
Mas derrotados, todos acabam
Caídos num solo infértil
Regamos a teimosia com arrependimentos liquefeitos
Implorando pra que algum bálsamo milagrosamente brotasse

Hoje sento calmo e espreguiço o corpo em melancolia
O pesar da consciência entorta o pescoço a ponto de quebrá-lo
Nesse ato inevitável, sem sentido algum, volto ao que assim o foi
E somente levanto sem ambição
Para pensar mais e mais na fixação do andar num chão há muito compactado
Nem tudo é como quero, mas por milagre uma erva sempre nasce
Quantas cultivei com paixão
Que ao menor sinal de seca desesperava para dá-las mais vida
Era pra ser feliz assim
Numa eternidade fui, noutra tudo murchou

Sentimentos, todos encontraram meu coração
Desejos, nunca se apagaram
Surpresas vêem quando ouso cruzar aquela esquina
E vão nos giros do mundo
Agonias preenchem o vazio dos instantes
Amo todas as pessoas interessantes
Paixões se consomem em semanas
Mas estou tranqüilo
Vivendo a dádiva do presente intensificado pelo envelhecido e amargo passado
Enquanto o coração permanece cativo em minhas sombras

2 comentários:

Dahn disse...

Ai amor, sentimento maldito que não larga do meu pééé...=P

Bárbara (B.) disse...

"Sentir é pouco para o amor"

Tenho a impressão de que tudo é muito pouco e muito pequeno para uma coisa tão sublime e inexplicável.

O que nos resta fazer? Nos sentir insignificantes? Não. Nos render a ele? Talvez.

Beijo meu, moço.